quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Mulheres de atenas

Mulher que gosta de sexo é vagabunda.
Mulher que não gosta de ter compromisso é puta.
Mulher que é independente, que paga suas contas sozinha é mal amada.
Mulher que não tem um relacionamento estável é encalhada.
Mulher que não tem filhos é inútil. 
Mulher que trai é vadia.
Mulher que dá em cima de homem comprometido é vaca.
Mulher mais velha que não é casada é frustada.

Tantas e tantas outras formas de entender a situação que NÓS mesmas ainda nos colocamos. Não quero pagar de feminista, porque não sou. Tenho ainda todos os requisitos de uma mulher que quer se encaixar dentro dessas badernas todas. Mas fiquei pensando, em como nós mulheres, somos condicionadas a não ter opinião e nem vontade.
É triste. Mesmo tendo essa evolução nos pensamentos das mulheres, a gente ainda vê, e muito, a parte machista dominando. Estou falando isso pela própria atitude de nós, mulheres... somos ensinadas a ser omissas.
Por que mulher que fica solteira é encalhada? E o homem é solteirão, aqueles bem resolvidos? Que não encontraram a mulher certa?
Pelo menos, falando de mim, a atitude vem comigo. Eu que me posiciono e coloco também as mulheres ao meu redor nessa situação. Não é crédito unicamente dos homens machões (ahhh os vilões)... NÃO! A gente que dá permissão para estar sendo condicionada. (É bom deixar claro que estou generalizando!)
Esse negócio de que SÓ mulher quer casar a qualquer custo, porque é FEIO mulher com mais de 25 anos com o currículo "solteira". Não. A gente acaba ficando com quem não gostamos, aceitando coisas que não queremos porque temos esse tal medo de ficar sozinha. 
O medo da mulher de ser aquela que fica para "titia". Isso tudo é uma idiotice, mas é a realidade. Quantas amigas suas falam: Estou bem sozinha e estou resolvida. Não!!! São poucas e estou partindo pela maioridade.
Da onde vem essa história? De onde vem esse medo de ficar sozinha? Talvez esse não seja o principal motivo, mas é um grande determinante.
Homem que gosta de putaria é o cara. Mulher tem que ser aquela bem comportada, que se veste adequadamente, que tem o cabelo, as unhas muito bem feitas TODOS OS DIAS, que não podem ser atiradas, que não devem de jeito NENHUM dar em cima de um homem. Mulher não pode querer fazer sexo sem compromisso, muito menos gostar disso. Mulher de verdade é aquela que quer casar, ter filhos, ter uma boa relação com o marido, entendê-lo sempre, ganhar menos que ele, aceitar o jeito cafajeste dos homens e ainda por cima estar disposta a transar todos os dias, com muita empolgação e sendo safada (mas nem tanto) com seu único homem. Têm que estar sempre depilada porque pelos está fora de moda e porque alguns homens não gostam de fazer sexo oral quando a menininha está com pelos na vagina.
Mulher boa é mulher omissa. Mulher boa é aquela que não dá em cima do meu marido, que fica longe de encrencas. Mulher boa é aquela que NUNCA é ciumenta, que sempre está disposta a conceder e ser disposta a entender tudo a qualquer hora. Mulher boa é mulher gostosa! Corpo definido. Mulher boa é aquela que apanha calada, olha para os filhos e não vai embora!


segunda-feira, 14 de outubro de 2013

"São tempos difíceis para os sonhadores."

Sonhar faz parte de um processo de luta constante. Infelizmente o outro lado as vezes ganha. O lado que desmorona toda a sua capacidade de manter-se. Mante-ser sonhador e capaz. Aquela coisa de acordar diariamente pensando nas coisas boas, no futuro bom e nas boas ações, por exemplo. Aquela coisa de acreditar!
Talvez esta minha história de muro seja só uma coisa fantasiosa da minha mente. Porque tudo ao meu redor me afeta... E muito! Já passei por algumas coisas, que antes me afetavam mais, agora me afetam menos ou não afetam nada. Contudo, parece que a vida dá um jeito de arranjar outra maneira de me cutucar. Essa tal "capacidade".
O cansaço, o jeito que levamos a vida, as coisas erradas que acontecem. E quanto mais lemos, mais aprendemos, mais vivemos... parece que tudo deixa de parecer luminoso... parece que deixamos de ser humanos. De ser emocionais.
Tudo começa a ser real demais. Dolorido até! Mas aquele dolorido que você acaba se acostumando. A realidade é uma bebida amarga, que todos os dias nos desce um pouco mais. Aquele copo de cerveja que quando você é mais novo te deixa bêbado, e depois seu corpo acaba se acostumando também.
Talvez seja só mais um drama. Ahhhh....
Mas pensar em não ser sonhadora me assusta. A realidade me convida, para uma dança... uma dança interminável. Perder a ingenuidade é triste. E realmente, a ignorância é uma dádiva!
Porém, eu sempre tive as dúvidas... Muitas perguntas. Nunca me permiti estar errada ou falar sem propriedade. E se fiz, me arrependi profundamente, como uso da burrice que jamais quis utilizar.
Aprender e descobrir que é...  tudo isso aqui é difícil. E às vezes me desanima.
E ah... essa semana eu estou desanimada!